sábado, 4 de junho de 2016

Primeiras impressões: O Mestre das Cordas



Como li muita fantasia seguida uma da outra tinha resolvido dar uma pausa na leitura desse gênero e agora ressurjo com essas primeiras impressões fantásticas que só me fizeram esquecer o quanto estava farta do gênero.
Li 32 páginas dessa fantasia louca, do jeito que eu gosto, com muitos elementos que a caracteriza como tal. Temos magia, lendas, dragões e uma grande missão.
A diferença nessa história é que ela conta o lado dos magos. Foge do clichê mocinho. Não que os magos não sejam os mocinhos, mas normalmente são pessoas que estão descobrindo os seus poderes.
 Pelo que notei o personagem principal é o Barton, não é o primeiro foco do autor porque ele prepara todo um caminho até que o bardo se faça presente. Ele traz um significado para a presença do personagem principal.
Os magos estão sendo casados por todo o reino. Assassinatos de magia negra foram detectados e todos os magos foram exilados e apontados como os principais suspeitos, também, sendo os únicos a possuir magia, claro que seriam os principais suspeitos.
A missão dos três magos e amigos restantes é destruir o que vem a ser essa magia negra.
Fiquei muito empolga para continuar a leitura. Eu amo magia e vou adorar conhecer o desenvolvimento dos personagens com a ajuda dela e descobrir mais sobre essa missão/profecia/lenda que o autor nos apresenta.
Como toda boa fantasia o livro é narrado em terceira pessoa.


Por: Carol Cadiz

Um comentário:

  1. Obrigado pelo feedback, Carol! :D
    Fico feliz que tenha curtido os primeiros capítulos, abraço.

    ResponderExcluir

Nós conte a sua opinião sobre o assunto :)